segunda-feira, 2 de Agosto de 2010

Gaspar/Pedrosa entram a vencer

A dupla Campeã Nacional, José Pedrosa/Hugo Gaspar entram no Circuito Nacional 2010 como saíram no circuito 2009: a vencer.
Numa Final disputada com a dupla Roberto Reis/Kibinho o marcador este equilibrado até aos 8/9 pontos , mas a partir daí os campeões nacionais tomaram a liderança para a manterem até ao final com 21-16 e 21-19.
Na luta pelo 3º lugar no pódio, Rui Moreira/Faricio Barros levaram a melhor sobre a dupla Nelson Brízida/João Simões, já no 3º set por 15-9, depois de vencerem o 1º com um desequilibrado por 21-13 e uma derrota por 21-19 no 2º.

Esta é a primeira etapa no caminho de revalidação do título de 2009, mas como vê os adversários?
Hugo Gaspar: Este é um caminho curto uma vez que só temos 4 etapas, infelizmente este ano o campeonato é bastante curto, devia ter começado mais cedo, no entanto temos boas duplas, temos gente com muita vontade de jogar e certamente que as quatro etapas serão bastantes engraçadas de jogar, para os espectadores e penso que vaia haver bastante equilíbrio.
Quanto à nossa dupla o nosso objectivo é sem dúvida nenhuma o Circuito Mundial, e é obvio que utilizamos estas etapas do Campeonato Nacional para ganharmos um pouco de ritmo para as etapas do Circuito Mundial, mas começando no final de Julho e o Circuito Mundial já ter começado Há dois meses atrás é difícil termos ritmo, só agora é que começamos a ter jogos, mas são bem vindas estas etapas, um bom espectáculo, óptimas condições, e vamos continuar a trabalhar."

As dificuldade são muitas no Circuito Mundial…
"Sim, neste momento é um circuito profissional e toda a gente sabe que em Portugal é complicadíssimo os atletas serem profissionais, quanto mais de voleibol. Partimos desde início com uma enorme desvantagem, juntando a isso temos de lutar com as verbas financeiras, com as verbas dos apoios que são poucas, felizmente temos estes nosso patrocinadores a quem nós agradecemos, especialmente à Dalkia, mas temos muito trabalho a fazer. O circuito Mundial está extremamente forte, gostava que o Mundial viesse cá para as pessoas constatarem o nível que se joga lá fora, porque é deveras impressionante."

quinta-feira, 15 de Julho de 2010

Sorteio do Campeonato Nacional

O sorteio do Campeonato Nacional da Divisão A1 - Masculinos 2010-2011, realizado no Auditório Fernando Jorge de Araújo Barros, na sede da Federação Portuguesa de Voleibol (FPV), ditou a seguinte 1.ª jornada, a disputar no dia 9 de Outubro de 2010:

AD Machico-CS Marítimo
AJF Bastardo-Clube K
Vitória SC-SC Espinho
GC Vilacondense-Esmoriz GC
SL Benfica-Leixões SC
AA Espinho-Castelo da Maia GC

Aceda ao seguinte link ttp://www.fpvoleibol.pt/notas_imprensa/2010_2011_A1masculinos.pdf) para obter o calendário completo da época 2010/2011


Recorde-se que, recentemente, foi aprovada a Alteração do Sistema de Pontuação, com vista a um melhor factor diferenciador entre as equipas.

Medida a implementar nos escalões de Seniores:
Vitória por 3-0 e 3-1 = 3 Pontos
Vitória por 3-2 = 2 Pontos
Derrota por 2-3 = 1 Ponto
Derrota por 0-3 e 1-3 = 0 Pontos

Aprovadas alterações ao Esquema de Provas de Seniores Masculinos - A1 e A2, II e III Divisões e A1 e A2 Seniores Femininos, Juniores e Juvenis, das quais se destacam:

Seniores Masculinos A1 e A2

1.ª Fase do campeonato - Apuramento
12 Equipas - Todos contra todos a duas voltas
No total 22 Jogos cada equipa

2ª Fase do campeonato
Série dos primeiros – apuramento para a final
6 Equipas – Todos contra todos a 2 voltas
No total 10 jogos cada equipa

Série dos últimos – A1 definir a equipa que desce de divisão. A2 Definir a equipa que disputa os jogos de passagem
6 Equipas - Todos contra todos a 2 voltas
No total 10 jogos cada equipa

Na A1
O último classificado desce directamente de divisão

Na A2
O último classificado desce directamente de divisão
O penúltimo disputa os jogos de passagem A2 / II divisão, a melhor de 3 jogos em fase concentrada no continente

3ª Fase do campeonato – Final
Play-off final à melhor de 3 jogos – três fins-de-semana no máximo
Os dois primeiros classificados da 2ª fase disputam o 1º e 2º lugar

H. Gaspar a caminho da Luz

Depois de protagonizar na época passada uma transferência algo inesperada, ao trocar o Vitória SC pelo Castêlo da Maia GC, Hugo Gaspar é novamente notícia pela sua mais que certa transferência, desta vez para o SL Benfica que terá apresentado uma proposta aliciante e impossível de rivalizar com as condições do clube da Maia.
Também Flávio Cruz poderá estar a caminho da capital, num reforço do clube da Luz (que o Vitória também procura) em atletas nacionais, a juntarem-se às renovações de Carlos Fidalgo e de Pedro Fiúza.
Também o brasileiro Paulo Renan deverá manter-se no plantel de José Jardim.

domingo, 23 de Maio de 2010

F. Fidalgo, treinador da dupla Pedrosa/Gaspar

A dupla Pedrosa/Gaspar, já treina para começar a preparar a época de voleibol de praia, que no ano passado foi um sucesso, apesar de todas as adversidades.
A dupla campeã nacional conta também com novo treinador.

Nuno Pereira, foi o treinador da dupla na época passada. Este ano. mantem o mesmo cargo, mas desta feita como adjunto. Sendo assim, Franscico Fidalgo será o novo treinador da dupla, que continua a trabalhar para alcançar o seu maior objectivo, os jogos Olimipicos de Londres, em 2012, não esquecendo o campeonato nacional que se avizinha.


segunda-feira, 19 de Abril de 2010

Maiatos terminam em 4º lugar

O Vitória SC assegurou no pavilhão do Castêlo da Maia GC, o 3º lugar do Campeonato Nacional A1 Masculino 2009/2010, com uma vitória por 3:1 no 2º jogo do Play-off, depois da vitória em Guimarães por 3:2.
N um jogo pouco motivador para ambas as equipas, este oscilou entre o equilíbrio no 1º e 3º set (diferença máxima de 2/3 pontos) e diferenças expressivas no 2º e no 4º (vantagem de 6/8 pontos).
Para Nuno Coelho, treinador do Vitória “numa fase difícil da época, de alguma saturação e de desânimo por não termos alcançado a Final, destes jogos não se podem esperara grandes coisas, mas penso que ainda assim foram dois bons jogos”.
Sobre o objectivo não alcançado de alcançar o título o técnico vimaranense reafirma que “uma equipa como o Vitória tem que ser sempre uma candidata ao título, assumimos, lutamos por esse objectivo até ao final, mas houve duas equipas que foram melhores que nós e na altura da derrota é preciso reconhecer o mérito dos adversários e penso que estão encontradas as melhores duas melhores equipas e penso também que nós fomos a terceira melhor, e nessa perspectiva este foi um resultado justo”
Para Alexandre Afonso Os meus atletas fizeram um grande esforço para lutar contra a tendência de jogo, estava a sair tudo bem ao Vitória e a nós nem por isso, nós tentamos mas não conseguimos. Nestes jogos de quem não vai à Final, inconscientemente os atletas, a equipa não se consegue preparar. É difícil para quem esteve perto de disputar a FinaL encarar estes jogos para o 3º e 4º lugar”.
Em jeito de balanço sobre a época, o técnico maiato considera-a “bastante positiva, conquistamos a Taça de Portugal, ganhamos a todas as equipas do campeoanto, algumas delas com plantéis muito fortes, e orçamentos bastante superiores ao Castêlo, lutamos até ao fim na Meia.Final , levando até à “negra” a disputa pelo acesso à Final e conseguimos mobilizar a população do Castêlo da Maia, coisa que eu já não à uns anos”.
Esse é também um facto importante na divulgação da modalidade… “acho que sim, este ano as pessoas habituaram-se a vir assistir aos jogos, espero que para o ano continue assim, com os atletas mais jovens, os Pais, os amigos e toda a população maiata”.

domingo, 11 de Abril de 2010

1º jogo decidido na "negra"

Foi necessário esperar pela “negra” para encontrar o vencedor do primeiro jogo de apuramento do 3º lugar da Divisão A1. Vitória e Castêlo da Maia disputaram um jogo bastante equilibrado, com a equipa vitoriana a resolver na negra, ao vencer por 15-11. Os dois primeiros parciais foram dominados pela equipa da Maia. O Vitória parecia algo desmotivado e tardava em encontrar-se, cedendo por 21-25 e 18-25.
Na resposta aos dois parciais, o Vitória reergueu-se e não deu qualquer hipótese ao Castêlo da Maia. Uma equipa a renascer das cinzas mostrou ao adversário a qualidade de todo um grupo e a crença no símbolo que trazem ao peito. Assim, o Vitória venceu os dois parciais seguintes (25-22 e 25-17) e adiou a decisão para a negra.
E no set decisivo, a equipa vitoriana tornou-se ainda mais forte. Depois de estar a vencer por 10-5, o Vitória permitiu uma aproximação do Castêlo (13-10) mas seguiu confiante para o final da partida, vencendo de forma justa por 15-11. O segundo jogo realiza-se no próximo sábado, na Maia. Em caso de triunfo, a equipa vitoriana termina o campeonato na terceira posição.

segunda-feira, 5 de Abril de 2010

Declarações de Hugo Gaspar

Hugo Gaspar

"Não podíamos desistir"

Os 37 pontos, quase metade dos 79 conquistados pelo Castêlo da Maia na final contra o Benfica, fizeram de Hugo Gaspar o jogador em destaque. E logo no ano em que decidiu trocar o Vitória de Guimarães, onde foi campeão e no ano passado também ganhou a Taça, por um Castêlo com um projecto mais modesto, mas também mais surpreendente. "Não há diferença. Foram dois grupos muito bons. A Taça ganha pelo Vitória de Guimarães foi o culminar de um trabalho de muitos anos naquele clube e cidade. Todos mereceram. Este ano foi um excelente trabalho do clube, dirigentes, jogadores e da massa associativa, pois não é fácil trazer tanta gente para ver o jogo", recorda. E para esta vitória foi precisa "muita união do grupo". "Há jogo até ao fim. Sabíamos que não podíamos desistir", sublinha, enaltecendo ainda o facto de seis dos sete mais utilizados na final serem portugueses. Agora admite que pode estar na altura de tentar outra aventura no estrangeiro. "Não há propostas. Só se compensar muito", diz.

sábado, 3 de Abril de 2010

Castêlo vence a Taça de Portugal

O Castêlo da Maia conquistou esta tarde a Taça de Portugal, ao vencer o Benfica na final por 3-1 (26-24;21-25;25-18;25-23). Num jogo emocionante, os maiatos estiveram melhor nos momentos mais importantes do jogo, conseguindo dar a volta à marcha do marcador na recta final dos sets.

Em Coimbra, com cerca de mil adeptos nas bancadas, as duas equipas deram um excelente espectáculo, não desiludindo os presentes. Logo no primeiro set, o Castêlo da Maia adiantou-se na partida ao vencer por 26-24, recebendo a resposta dos encarnados no segundo set (21-25).

Mas os pupilos de Alexandre Afonso estavam motivados, pois este seria o único troféu que poderiam alcançar esta temporada e no terceiro set venceram por 25-18.

Sem contar com o libero Filipe Cruz, Nuno Pereiro apresentou-se bem e foi determinante para a recuperação do último set. Tudo indicava que o Benfica iria obrigar a jogar-se a “negra”, encontrando-se a vencer por 16-19, mas os maiatos viraram o resultado a seu favor para 21-19. Com essa vantagem, o Castêlo da Maia segurou-a até final do set, vencendo por 25-23, conquistando a 5ª taça de Portugal do seu historial.

Hugo Gaspar esteve irrepreensível, alcançando 37 pontos (31 no ataque, 5 no serviço e 1 no bloco) e foi mesmo ele quem deu a estocada final. Destaque também para Ricardo Lima (11 pontos), que estava em dúvida para esta partida, João Simões (11) e Pedro Azenha que usou a sua experiência para os momentos mais importantes do jogo. Pelo Benfica, o inevitável Pedro Dornelas tentou dar o 13º troféu ao Benfica, somando 17 pontos tal como Robert Tarr (15).

segunda-feira, 29 de Março de 2010

Castêlo eliminado da final

A equipa de Espinho assegurou a presença na Final frente ao SL Benfica, com uma vitória por 3:0, sobre o Castêlo da Maia GC.
Esta é a 6ª Final consecutiva dos “Tigres” (com três títulos conquistados em 2005/2006, 2006/2007 e 2008/2009) a primeira das quais na época 2004/2005 precisamente frente ao SL Benfica que é também o último título conquistado pelo clube da Luz.
Os actuais campeões nacionais depois de terem sido surpreendidos pela excelente recuperação da equipa da Maia (de 0:2 para 3:2) no 2º jogo, repetiram agora o resultado do primeiro jogo deste Play-Off por 3:0 com os parciais de 25-22, 25-21 e um desequilibrado 25-9.
A equipa de Francisco Fidalgo controlou sempre o jogo e mostrou-se bastante eficaz em todas as acções de jogo e em particular no bloco.
Flávio Cruz do SC Espinho e Hugo Gaspar do Castêlo da Maia GC foram os melhores pontuadores das suas equipas, com 14 e 13 pontos respectivamente.

O Castêlo da Maia GC vai agora disputar o 3º lugar com o Vitória SC, mas antes estará presente no dia 3 de Abril, em Coimbra, na final da Taça de Portugal.

domingo, 21 de Março de 2010

Play-off empatado com uma excelente vitória do Castêlo

O Castêlo da Maia venceu o SC Espinho por 3-2 e adiou a decisão sobre o primeiro finalista do campeonato para o terceiro jogo.

Os maiatos tinham perdido por 3-0 no primeiro jogo, em Espinho, e a verdade é que o jogo deste sábado não começou da melhor forma para o Castêlo. O SC Espinho mostrou que queria ser o primeiro finalista conhecido do campeonato e venceu os dois primeiros sets por 25-22 e 25-21, respectivamente.

A perder por 2-0, o Castêlo da Maia teve de dar o tudo por tudo para continuar na luta e conseguiu recuperar da desvantagem, depois de vencer o 3º e 4º período por 25-20 e 25-22.
A decisão sobre o vencedor da partida teve de ser levada ao 5º set e aí o Castêlo da Maia acabou por levar, também, a melhor, vencendo por 15-10 e empatando a eliminatória.

A “negra” vai ser disputada em Espinho e será o jogo do tudo ou nada para uma das equipas garantir a presença na final do campeonato.